terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Cercas vivas

Cercas vivas têm sido largamente utilizadas em projetos arquitetônicos que privilegiam as áreas verdes de um empreendimento. Servem tanto para a óbvia função de delimitar o terreno de uma edificação quanto como proteção visual, já que muitas espécies de arbustos e trepadeiras cobrem cem por cento; cercas vivas também podem proteger contra invasores.

Quem pretende utilizar arbustos para confecção de uma cerca viva tem que levar em consideração o tempo de crescimento deles. A perfeita adubação do terreno e a definição da altura que a cerca viva terá têm que ser pensada criteriosamente, além das frequentes podas. Os arbustos mais utilizados são hibiscos, primaveras, glicínias e as diversas variedades de jasmim, sansão campo entre outros.

Já as trepadeiras precisam de uma sustentação artificial para que se transforme em cerva viva. Telas de arame ou armações de madeira são muito comuns. Algumas trepadeiras têm espinhos, outras florescem em determinadas épocas proporcionando um alegre contraponto colorido ao verde. Existem muitas sementes e mudas de trepadeiras para confecção de cercas vivas e um bom jardineiro saberá escolher a melhor espécie. Maracujá e tumbérgias são variedades de trepadeiras muito utilizadas.
Quem quiser adquirir mudas para cercas vivas entre em contato email ripsalis1000flores@gmail.com .

2 comentários:

  1. vc sabe me dizer a especie da arvore da terceira foto . obrigado

    ResponderExcluir
  2. me parece que a terceira foto é de um podocarpus macrophyllus nome pupolar "pinheiro budista" pode chegar até 15m de altura. Gostaria de saber como posso mantê-lo a altura máxima de 2m de altura, se isso for possível ...

    ResponderExcluir